Maringá, PR: (44) 9 99701-2506 Cuiabá, MT: (65) 9 9600-0781

Aqui carreiras ganham asas

Banner do artigo Explorando os céus: a importância do Voo por Instrumentos (IFR) (Versão Desktop) Banner do artigo Explorando os céus: a importância do Voo por Instrumentos (IFR) (Versão Mobile)

Aviação

Explorando os céus: a importância do Voo por Instrumentos (IFR)

Viajar de avião é uma das experiências mais mágicas que existe, não é verdade? Perceber o quão pequenos nós somos lá de cima, e reconhecer o quão longe fomos em termos de inovações tecnológicas, é incrível. Às vezes achamos que existe alguma mágica para o voo acontecer, mas na verdade há muitos instrumentos, e tecnologias envolvidas, para que nossa viagem seja realizada com segurança.

Neste conteúdo vamos entender a engrenagem e a importância do voo por instrumentos (IFR), que é aquela viagem que acontece com o piloto estando sujeito a restrições visuais, com condições climáticas desfavoráveis, ou sob outras demandas, utilizando para isso todo um aparato de instrumentos que a aeronave possui.

Boa leitura!

O voo por instrumento 


Existem duas situações bem distintas quando vamos viajar de avião. 

Na primeira o céu está claro, azul, sem nuvens, e o piloto tem uma completa visão da viagem e de todos os passos que deve tomar para que o voo seja feito com sucesso e segurança.

A segunda situação é o oposto, quando um voo acontece pela noite, ou sob um clima desfavorável, com chuvas, neblina, massas de ar, temporais e outros fenômenos da natureza. Neste caso o voo pode acontecer, na grande maioria dos casos, mas sob assistência de instrumentos.

Assim, o voo por instrumentos pode ser definido como a técnica de controlar um avião confiando tão somente nos instrumentos da cabine, nos computadores de bordo, ao invés de pilotar com referências visuais.

Voo por instrumento em condições visuais